As últimas informações disponíveis esclarecem que a CPI da Petrobras será instalada na próxima quarta feira, dia 10 de junho/2009. São integrantes titulares desta CPI:

– Pelo bloco de apoio do Governo:

                Ideli Salvatti                       PT – SC

                João Pedro                        PT, AM

                Marcelo Crivella               PRB, RJ

– Pelo bloco da maioria:               

                Paulo Duque                     PMDB, RJ

                Leomar Quintanilha       PMDB, TO

                Romero Jucá                     PMDB, RR

                Fernando Collor               PTB, AL

                Jefferson Praia                 PDT, AM

– Pelo bloco da minoria:

                Sérgio Guerra                   PSDB, PE

                Álvaro Dias                         PSDB, PR

                Antonio Carlos Júnior    DEM, BA

 

Segundo o senador Paulo Duque, o mais idoso dos integrantes e, por esta razão, a quem cabe presidir a primeira reunião – a qual instalará a CPI: “Ou se instala essa CPI com seriedade ou não se instala”. A afirmação é do senador Paulo Duque (PMDB-RJ), ao anunciar, nesta quinta-feira (04), que instalará quarta-feira (10), sem falta, a CPI criada para investigar suspeitas de que a Petrobras teria cometido fraudes em licitações, desvio de royalties de petróleo, irregularidades na construção de plataformas e refinarias e artifícios contábeis para reduzir o pagamento de tributos.” (Obtido no Site do Senado)

Mister destacar o empenho deste ilustre Senador para esta CPI. Ele mesmo esclarece: “Venho do Rio de Janeiro na próxima terça-feira (09) à noite. Às 10h da manhã de quarta, estarei aqui para instalar a CPI. Espero novamente 15 minutos, se ninguém aparecer, volto para o Rio à noite.” Vejam bem: desloca-se do Rio de Janeiro somente para instalar a CPI, tanto assim que volta ao Rio no mesmo dia. Quanto sacrifício!! (Porque o Senado não é transferido para o Rio de Janeiro!!). E ainda dizem que este cavalheiro é “pau mandado” de Renan Calheiros – absurdo!

Voltemos à CPI. O requerimento de sua criação estabelece apurar o que segue:

1 – Indício de fraude nas licitações para a reforma de plataforma para a exploração de petróleo, apontada na operação de águas profundas da Polícia Federal;

2 – Graves irregularidades nos contratos de construção de plataformas, apontadas pelo relatório pelo Tribunal de Contas da União;

3 – Indício de superfaturamento na construção da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, apontada em relatório do Tribunal de Contas da União;

4 – Denúncia de desvio de royalties de petróleo, apontada pela Operação Royalties da Polícia Federal;

5 – Denúncia de fraude do Ministério Público Federal envolvendo pagamentos, acordos e indenizações feitos pela ANP a usineiros;

6 – Denúncia de utilização de artifícios contábeis que resultaram no recolhimento de impostos e contribuições de R4 4,3 bilhões;

7 – Denúncia de irregularidade no uso de verba de patrocínio da estatal para bancar festas no Nordeste.

Esta pauta de trabalho dá os leitores condições de avaliar se é ou não importante  esta CPI.

 

Mas como o texto acima está muito sério, deixem-me brindá-los com uma poesia sobre uma conhecida historinha:

Os cegos e o Elefante

 

Eram seis homens do Industão

Que gostavam muito de aprender

E que foram um elefante ver

(Apesar de serem todos cegos)

Cada um fez sua observação

Na tentativa de se satisfazer

 

O primeiro se aproximou do elefante

E quase a cair

Contra o lado firme do gigante

Logo começou a bramir

“Deus me ajude, mas o Elefante

é muito parecido com uma parede!”

 

O segundo, sentindo a presa,

Gritou, “ Oh, o que temos aqui,

Tão redondo, liso e afiado?

Para mim está claro

Que a maravilha do Elefante

Se parece com uma lança!”

 

O terceiro se aproximou do animal,

E aconteceu de tocar

Na tromba com as suas mãos,

E assim sem medo falou

“Agora eu vejo”, ele disse, “o Elefante

Se parece com uma serpente!”

 

O quarto alcançou uma pata

E a sentiu próximo do joelho,

“Que maravilhosa besta é esta

É bem direta” ele disse;

“Está claro que o Elefante

Se parece muito com uma árvore!”

 

O quinto, que tocou a orelha

Disse “Até o mais cego

Pode dizer que ele se parece mais,

Negue quem puder,

O maravilhoso Elefante

e muito parecido com um abanador!”

 

O sexto logo começou

A tentar agarrar a fera,

quando o rabo se movimentou

E o sentimento que ele sentiu:

“Eu vejo”, ele disse, “o Elefante

Se parece com um corda!”

 

E estes homens do Industão,

Discutiram alto e por muito tempo,

Cada um a sua própria opinião

Mantendo uma firme posição,

E apesar de cada um estar certo em parte

Todos estavam errados!

 

Moral:

Muitas vezes em guerras teológicas,

Os que as disputam, penso eu,

Criticam a ignorância

que dos outros ouviu

e afirmou sobre um elefante

Que nenhum deles jamais viu!

Prestem atenção à moral da história (é do poeta e não minha) e concordem comigo: tudo é uma questão de ponto de vista.

 

Agora, voltando a falar de coisa séria, permitam repassar-lhes algumas informações disponíveis no Site Transparência Brasil sobre alguns dos integrantes da CPI:

João Pedro Gonçalves da Costa

Ocupando o apartamento funcional cedido pelo senado recebeu o auxílio-moradia e terá que ressarcir a quantia correspondente aos cofres públicos (Correio Braziliense, 29.mai.2009).

Marcelo Bezerra Crivella

Sócio de empresa em paraíso fiscal investigada por evasão de divisas provenientes da Igreja Universal (Revista IstoÉ, 21.mai.2005).

Leomar de Melo Quintanilha (TO)

STF Inquérito Nº2274/2005 – Sob segredo de Justiça.

Responde no Supremo Tribunal Federal a inquérito sigiloso, que, segundo a imprensa, diz respeito a esquema de desvio de verbas no Tocantins. O senador, assim como outros parlamentares sob suspeita, teria apresentado emendas ao orçamento da União para a realização de obras em municípios do estado; após negociação com construtoras e empreiteiras locais, licitações teriam sido direcionadas e superfaturadas (Correio Braziliense, 30.jun.2007; Folha de S. Paulo, 29.jun.2007, 4.jul.2007).

Contratou o filho em seu gabinete (Correio Braziliense, 24.set.2008).

Romero Jucá Filho

STF Inquérito Nº2663/2007 – Captação ilícita de votos e corrupção eleitoral.

STF Inquérito Nº2116/2004 – Desvio de verbas públicas praticado por prefeito.

Investigado pela Polícia Federal sobre o recebimento de propina referente à liberação de uma emenda para realização de obras públicas no município de Cantá (O Estado de S. Paulo, 2.abr.2005).

Segundo a Receita Federal, a Fundação de Promoção Social e Cultural do Estado de Roraima destinava verbas públicas obtidas em convênio com a Fundação Banco do Brasil e o extinto Ministério da Ação Social para gastos pessoais do senador e para a TV Caburaí (Folha de S. Paulo, 12.abr.2005, 17.abr.2005).

Teria repassado propriedades a seus filhos, mantendo o usufruto dos bens e encolhendo assim o patrimônio declarado ao TSE (O Estado de S. Paulo, 17.abr.2005).

Acusado por funcionários da prefeitura de Boa Vista de compra de votos, uso da máquina e coação dos servidores. O caso está sendo investigado pela Procuradoria Geral da República (O Globo, 10.abr.2005, 13.04.2005, 14.abr.2005,

Fernando Affonso Collor de Mello

STF Ação Penal Nº451/2007 – Falta de recolhimento de imposto de renda.

STF Ação Penal Nº465/2008 – Falsidade ideológica, peculato, corrupção passiva, tráfico de influência e corrupção ativa.:

Afastado da presidência da República em 1992 por decisão do Senado. Foi acusado de chefiar esquema de tráfico de influência e de desvio de dinheiro público, conjuntamente com seu então tesoureiro de campanha, Paulo César Farias, o PC. O julgamento do novo processo aberto pelo Ministério Público no Supremo Tribunal Federal (STF) deve ocorrer no final de 2009. O procurador-geral da República encaminhou parecer ao STF defendendo a condenação do senador por peculato, corrupção passiva e falsidade ideológica (Revista IstoÉ, 2.fev.2007; O Globo, 18.abr.2006; Revista IstoÉ, 27.set.2008).

Em uma ação articulada por aliados do senador, a Comissão Mista de Orçamento do Congresso pode arquivar parecer que rejeitou as contas do governo do ex-presidente de 1991. A manobra impede que Collor fique inelegível por cinco anos (Meio Norte, 1.nov.2008).

É acusado de não recolher imposto de renda retido na fonte sobre rendimentos pagos a pessoas jurídicas (Correio Braziliense, 8.jun.2008).

Severino Sérgio Estelita Guerra

TRE-PB Ação de Impugnação de Mandato Eletivo Nº1/2002 – Sob segredo de justiça

Poderia perder o mandato se respeitado o percentual de faltas à sessões plenárias permitido (O Tempo, 24.dez.2007).

Álvaro Fernandes Dias

Sua sobrinha trabalhava no Senado e foi exonerada depois da decisão do STF de proibir o nepotismo na casa (O Estado do Paraná, 1.nov.2008).

 

À vista das informações acima, é meu ponto de vista que a CPI da Petrobras irá trabalhar com a máxima seriedade, sanando eventuais irregularidades que por acaso tenham sido praticadas, deixando a nossa Petrobras impecavelmente limpa. Afinal, o próprio Sr. Luiz Ignácio LULA da Silva já pleiteia sua presidência, assim que terminar o seu mandato de maior dignitário da República.