Chegou a época dos vestibulares. Entrando na onda, apresento um texto do famoso Einsten. Peço que leiam com atenção, pois afinal será feita uma questão para saber se vocês estão preparados em “interpretação de textos”.

“O mistério da vida me causa a mais forte emoção. É o sentimento que suscita a beleza e a verdade, cria a arte e a ciência. Se alguém não conhece esta sensação ou não pode mais experimentar espanto ou surpresa, já é um morto-vivo e seus olhos se cegaram. Aureolada de temor, é a realidade secreta do mistério que constitui também a religião. Homens reconhecem então algo de impenetrável a suas inteligências, conhecem porém as manifestações desta ordem suprema e da Beleza inalterável. Homens se confessam limitados e seu espírito não pode apreender esta perfeição. E este conhecimento e esta confissão tomam o nome de religião. Deste modo, mas somente deste modo, soa profundamente religioso, bem como esses homens. Não posso imaginar um Deus a recompensar e a castigar o objeto de sua criação. Não posso fazer idéia de um ser que sobreviva à morte do corpo. Se semelhantes idéias germinam em um espírito, para mim é ele um fraco, medroso e estupidamente egoísta.

Não me canso de contemplar o mistério da eternidade da vida. Tenho uma intuição da extraordinária construção do ser. Mesmo que o esforço para compreendê-lo fique sempre desproporcionado, vejo a Razão se manifestar na vida.”

(Einstein, Albert, (1879-1955) – Como vejo o mundo; tradução de H. P. de Andrade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1981, pg. 9.)

Eis a pergunta: Com base no texto, você entende que Einsten acredita na vida após a morte do corpo físico, isto é, na vida eterna, ou não? Explique.

P.S.: Eu estou em dúvida.