“Os magos vieram de longe. Traziam areia do deserto nas sandálias e dádivas nas mãos. O caminho era longo e desconhecido, mas havia a estrela no céu. Uma estrela diferente, maior, de brilho mais intenso.

Para os pastores, o anjo e depois aquele coro maravilhoso, como nunca mais se ouviu igual: “Gloria a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens.

Estrela para os magos. . .anjos para os pastores. . .E para os outros, Senhor? Para os que em vão procuram um sinal no céu? Que será deles, sem alguma coisa que fale de Ti? Manda, também, para eles, um sinal: uma estrela cintilante e pura, ou a figura etérea de um anjo. Manda Senhor! Tem pena dos que Te buscam sem Te achar.

E no silêncio daquela noite linda, daquele Natal tão cheio de doçura, de promessa de amor e de paz, uma voz veio da própria noite, ou de dentro de minha alma:

Não há mais estrelas correndo no céu, para anunciar a boa nova. Não há coro celestial cantando o nascimento daquele em se firma a felicidade humana. . .Mas há um sinal, sim: “Vós sois a luz do mundo”.  Vós sois o farol, a estrela. . .Vede que privilégio o vosso! Há quase dois milênios, anjos e estrelas. Hoje, vós. Sim, tendes essa missão e não fugireis dela, como não fugiram os anjos. É preciso que anuncieis cada dia de vossa vida: “Jesus nasceu. Nasceu na humilde Belém da Judéia o Salvador, o Mestre querido, que pregou o amor, o bem, o perdão. Nasceu o Filho de David, o Deus encarnado. É Ele quem anima a minha vida. É ele quem dirige as minhas ações. Vinde comigo, vós que ainda não o conheceis. Vinde e eu vos levarei a Ele. Aos Seus pés deixareis vossas cargas e a vida será mais leve. Vinde! Não espereis anjos e estrelas. Essa  missão hoje é nossa. . .Vinde! Vinde!

Sim, Senhor, hoje não há mais sinais, além de nós. . .Mas, Senhor, perdoa-nos! A estrela soube cumprir sua missão. . .O anjo deu a boa nova aos pastores. . .E nós, Senhor? Temos sido a lâmpada acessa sob o alqueire. . .Não temos iluminado nada, não temos rompido as trevas. . .Não temos iluminado o caminho dos que Te buscam, desesperados. . .E Te pedimos um sinal. . .Oh! Senhor! Perdoa-nos!

E com as vozes daquela noite escura, com a doçura sempre nova da Noite de Natal, com a magia que une todos os  corações na comemoração do mais sublime fato da História, minha alma compreendeu toda a importância da missão que nos foi entregue, quando nosso grande mestre falou à multidão que o rodeava, no monte:

“Vós sois a luz do mundo”.

(  COMPROMISSO COM O SONHO, GCEC uma comunidade cristã alternativa, pg.s 167/168, texto da Siça para o boletim nº 68.)

Anúncios