O jornal A TRIBUNA, cá desta região de Águas de São Pedro, publicou em 6 de novembro/2010 este artigo em sua página A14. Espero que esta divulgação possa trazer benefícios a alguém.

Geisi Russo, 40, sofre com uma esclerose muscular degenerativa e, antes dos banhos, médicos haviam lhe dado três meses de vida.

A terapeuta aposentada Geisi Russo, 40, tinha apenas três meses de vida até iniciar um tratamento com águas medicinais no balneário Dr. Otávio de Moura Andrade, em Águas de São Pedro. Ela é portadora de uma esclerose muscular degenerativa há pelo menos dois anos e por conta disso não estava andando, comia muito mal e tinha perdido boa parte dos movimentos do lado direito do corpo.

Geisi só aceitou ir para a estância devido à insistência do marido, Marco Aurélio Russo, 46. Sem saídas para a doença e não vendo mais esperanças na medicina, ele viu uma reportagem na Internet sobre o tratamento com os banhos sulfurosos. No início, Geisi não queria enfrentar a maratona de banhos, mas pelo marido resolveu tentar.

Hoje, morando em Boituva, ela conta que nem conseguia entrar no carro direito. “Ele me levou até a porta do balneário e me carregou para o primeiro banho. Não esperava que essas águas fossem capazes de melhorar tanto a minha saúde”, afirmou.

Nos primeiros dois dias na estância, Geisi teve reações adversas e foi parar no Pronto Socorro Municipal duas vezes. Além disso, Geisi é alérgica a qualquer tipo de medicamento ou injeção, e precisou tomar morfina para conter as dores.

Mesmo com uma aposentadoria, Geisi não tinha dinheiro suficiente para se hospedar em um hotel ou pousada na estância, já que os gastos mensais ultrapassavam os R$ 5 mil. Por conta disso, ela já planejava voltar para Boituva quando conheceu Dona Nena, outra aposentada que quase deixou de andar há 19 anos por um abscesso em uma das pernas.

Dona Nena, no entanto, ofereceu um cômodo de sua casa sem cobrar nenhum centavo. “Não cobro nada dela e nem de ninguém que venha aqui para tomar os banhos. Graças a eles eu também me recuperei”, disse ela.

A intenção de Dona Nena é construir um espaço apropriado para abrigar aqueles que não têm condições de ficar em hotéis na cidade e querem tomar os banhos medicinais. “Quero montar uma associação de amor e vida que vai ajudar todas as pessoas com algum tipo de problema.”

Geisi, que ficou muito grata com a atitude de Dona Nena, não via a hora de voltar para a sua cidade. “Quero mostrar para os meus amigos e familiares como me recuperei bem. Não vou deixar de vir aqui sempre para tomar os banhos”, comentou.

O termalista do balneário, Dr. Octávio de Moura Andrade, disse que a melhora do quadro clínico dos pacientes não deve ser atribuído a uma cura, mas sim na remissão[i] das doenças. “É difícil falarmos em cura, mais é claro que as propriedades medicinais das águas que temos aqui ajudam a diminuir dores e melhorar algum sistema do corpo humano”, afirmou. Além das propriedades que ajudam no funcionamento intestinal, na aparência da pele e no tratamento da hepatite C, as águas medicinais apresentam substâncias que elevam a auto-estima.

….


[i] 6.Falta ou diminuição de rigor, de força, de intensidade:
As medidas visavam à remissão de calamidades.
7.Lenitivo, alívio, consolo:
“Tinha o ar de sofrer, numa funda saudade, / A dor fina e sem remissão da tua ausência, / Da tua adolescente e clara mocidade.” (Manuel Bandeira, Estrela da Vida Inteira, p. 42.)

 

Anúncios