Setenta anos é o tempo de nossa vida,

oitenta anos se ela for vigorosa;

e a maior parte deles é fadiga e mesquinhez,

pois passam depressa, e nós voamos.

Salmo 90:10.

O DINHEIRO

Seguiremos, para pensar a respeito dos próximos capítulos do livro de Eclesiastes, a orientação da Bíblia de Jerusalém, que faz os esclarecimentos mencionados abaixo. Após as divisões que apresenta incluiremos os versículos também na versão da Bíblia de Jerusalém.

“Sátira, não do rico prepotente (como nos profetas), mas do próprio dinheiro, quer adquirido por meios lícitos ou ilícitos, quer empregado bem ou mal. Não é garantia para a vida, nem fonte de felicidade. Esta crítica prepara o ensinamento evangélico sobre o desprendimento (cf.Mt 6,19-21.24.25-34). Esta, portanto, é a sequência das ideias:”

O dinheiro é mal repartido:

Ecl 5, 9:

Quem ama o dinheiro, dele não se farta; quem ama a abundância, dela não tira nenhum proveito: também isto é vaidade.

A maioria das vezes o dinheiro é dilapidado:

Ecl 5,10:

Quando aumentam os bens, aumentam aqueles que os comem. Que aproveitam ao seu dono, senão para os ver com seus olhos?

O dinheiro é custoso de ganhar:

Ecl 5,11:

Doce é o sono do operário, quer coma muito ou pouco; quem se farta de riquezas não logra conciliar o sono.

É penoso perder dinheiro:

Ecl 5, 12-16:

(12) Há um mal doloroso que observei debaixo do sol: riquezas guardadas que prejudicam ao dono.

(13) Num mau negócio ele perde suas riquezas, e o filho que lhe nasceu fica com as mãos vazias.

(14) Como saiu do ventre de sua mãe, nu voltará, assim como veio, sem levar consigo nada do trabalho de suas mãos.

(15) Também isso é um mal doloroso: como veio, assim terá que ir embora. Que proveito então tirou de tanto trabalho? – Vento.

(16) Todos os seus dias são consumidos nas trevas, em muitos desgostos, enfermidades e rancores.

Por conseguinte, os gastos dependem dos recursos:

Ecl 5, 17-19:

(17) Esta é a minha conclusão: o bom e o que vale é comer e beber e experimentar a felicidade em toda ação que se faz debaixo do sol durante os dias da vida que Deus lhe concede. Pois esta é a sua porção.

(18) Se a um homem Deus concede bens e riquezas e a capacidade de sustentar-se, de realizar a sua porção e desfrutar do seu trabalho, isto sim é que é um dom de Deus.

(19) Não pensará muito nos anos de sua vida, se Deus lhe concede a alegria do coração.

Exemplos – 1/3: A riqueza de que passa de um ao outro:

Ecl 6,1-2:

(1) Vi ainda outro mal debaixo do sol, pesando sobre os homens:

(2) Deus concedeu a um homem riquezas, bens e honra, sem que lhe falta nada de quanto possa desejar; Deus, porém, não lhe concede desfrutá-las, porque um estranho as desfruta. Isso é vaidade e cruel sofrimento.

Exemplos – 2/3: O rico sem sepultura:

Ecl 6, 3-6:

(3) Suponhamos que um homem tenha cem filhos e viva muitos anos: – por muitos que sejam os seus anos -, se não se pode saciar-se de seus bens e, no fim, não recebe uma sepultura, eu afirmo: é melhor um aborto.

(4) Ele chega num sopro e se vai às escuras, e a escuridão encobre seu nome.

(5) Não viu o sol nem chegou a conhecer nada, porém descansa melhor do que o outro.

(6) E, mesmo que alguém vivesse duas vezes mil anos, se não desfrutou dos bens, não vão todos ao mesmo lugar?

Exemplos – 3/3: O pobre que toma ares de rico:

Ecl 6, 7-11:

(7) Todo o trabalho do homem é para sua própria boca e, contudo, seu apetite nunca é satisfeito.

(8) Que vantagem leva o sábio sobre o néscio, ou sobre o pobre aquele que sabe vencer na vida?

(9) Mais vale o que vêem os olhos do que a agitação dos desejos. Também isso é vaidade e correr atrás do vento!

(10) O que já foi, o nome já foi pronunciado, e sabe-se o que é o homem; e que não pode contestar ao que é mais forte do que ele..

(11) Quanto mais palavras, tanto mais vaidade. Que aproveita o homem?

Conclusão:

Ecl 6,12

Quem sabe o que é bom para o homem durante sua vida, ao longo desses dias contados de sua existência fugaz que transcorrem como sombra? Quem mostrará ao homem o que vai acontecer depois dele debaixo do sol?

E, completando a informação da Bíblia de Jerusalém, incluímos os textos bíblicos mencionados no corpo de sua nota:

Mt 6:

19 Não ajuntem riquezas aqui na terra, onde as traças e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e roubam.

20 Pelo contrário, ajuntem riquezas no céu, onde as traças e a ferrugem não podem destruí-las, e os ladrões não podem arrombar e roubá-las.

21 Pois onde estiverem as suas riquezas, aí estará o coração de vocês.

22 — Os olhos são como uma luz para o corpo: quando os olhos de vocês são bons, todo o seu corpo fica cheio de luz.

24 — Um escravo não pode servir a dois donos ao mesmo tempo, pois vai rejeitar um e preferir o outro; ou será fiel a um e desprezará o outro. Vocês não podem servir a Deus e também servir ao dinheiro.

25 — Por isso eu digo a vocês: não se preocupem com a comida e com a bebida que precisam para viver nem com a roupa que precisam para se vestir. Afinal, será que a vida não é mais importante do que a comida? E será que o corpo não é mais importante do que as roupas?

26 Vejam os passarinhos que voam pelo céu: eles não semeiam, não colhem, nem guardam comida em depósitos. No entanto, o Pai de vocês, que está no céu, dá de comer a eles. Será que vocês não valem muito mais do que os passarinhos?

27  E nenhum de vocês pode encompridar a sua vida, por mais que se preocupe com isso.

28 E por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem as flores do campo: elas não trabalham, nem fazem roupas para si mesmas.

29 Mas eu afirmo a vocês que nem mesmo Salomão, sendo tão rico, usava roupas tão bonitas como essas flores.

30 É Deus quem veste a erva do campo, que hoje dá flor e amanhã desaparece, queimada no forno. Então é claro que ele vestirá também vocês, que têm uma fé tão pequena!

31 Portanto, não fiquem preocupados, perguntando: “Onde é que vamos arranjar comida?” ou “Onde é que vamos arranjar bebida?” ou “Onde é que vamos arranjar roupas?”

32 Pois os pagãos é que estão sempre procurando essas coisas. O Pai de vocês, que está no céu, sabe que vocês precisam de tudo isso.

33 Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas.

34 Por isso, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades.

No próximo ‘post’ falaremos sobre o dinheiro.

ESPERO CONTINUAR.