Setenta anos é o tempo de nossa vida,

oitenta anos se ela for vigorosa;

e a maior parte deles é fadiga e mesquinhez,

pois passam depressa, e nós voamos.

Salmo 90:10.

 

2ª Parte – Prólogo – Introdução

Cap. 7, versículos de 1 a 7

Bíblia de Jerusalém

1 – Mais vale o bom nome do que o bom perfume, mais o dia da morte do que o do nascimento.

2 – Mais vale visitar a casa em luto que a casa em festa, porque tal é o desfecho de cada homem; quem está vivo deveria refletir sobre o fato.

3 – Mais vale sofrer que rir, pois, enquanto o semblante se entristece, o coração se alivia.

4 – O coração do sábio está na casa em luto, o coração do néscio está na casa em festa.

5 – Mais vale escutar a repreensão de um sábio que escutar os elogios dos néscios.

6 – Pois como o crepitar dos gravetos por debaixo da caldeira é a risada do néscio. E também isto é vaidade.

7 – A opressão exaspera o sábio, e o suborno lhe corrompe o coração.

 

Vamos fazer o seguinte: 1) colocar os versículos nas versões “Bíblia de Jerusalém”, “Almeida, revista e atualizada” e Nova tradução na linguagem de hoje”, o mesmo versículo repetido na ordem indicada, permitindo compará-los; 2) tentar colocá-los em outra ordem, por assunto, pelo menos em nosso entender.

 

O bom nome:

1 – Mais vale o bom nome do que o bom perfume, mais o dia da morte do que o do nascimento.

1 – Melhor é a boa fama do que o unquento precioso, e o dia da morte, melhor do que o dia do nascimento.

1 – O nome limpo vale mais do que o perfume mais caro; e o dia da morte é melhor do que o dia do nascimento.

Opressão e suborno

7 – A opressão exaspera o sábio, e o suborno lhe corrompe o coração.

7   Verdadeiramente, a opressão faz endoidecer até o sábio, e o suborno corrompe o coração.

7   Quando o sábio usa a violência, ele se torna tolo. Quem aceita suborno estraga o seu caráter.

Alegria versus Tristeza

2 – Mais vale visitar a casa em luto que a casa em festa, porque tal é o desfecho de cada homem; quem está vivo deveria refletir sobre o fato.

2 – Melhor é à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, pois naquela se vê o fim de todos os homens; e os vivos que o tomem em consideração.

2   É melhor ir a uma casa onde há luto do que ir a uma casa onde há festa, pois onde há luto lembramos que um dia também vamos morrer. E os vivos nunca devem esquecer isso.

 

3 – Mais vale sofrer que rir, pois, enquanto o semblante se entristece, o coração se alivia.

3   Melhor é a mágoa do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração.

3   A tristeza é melhor do que o riso; pois a tristeza faz o rosto ficar abatido, mas torna o coração compreensivo.

 

4 – O coração do sábio está na casa em luto, o coração do néscio está na casa em festa.

4   O coração dos sábios está na casa do luto, mas o dos insensatos, na casa da alegria.

4   Quem só pensa em se divertir é tolo; quem é sábio pensa também na morte.

 

 

 

A Repreensão

5 – Mais vale escutar a repreensão de um sábio que escutar os elogios dos néscios.

5   Melhor é ouvir a repreensão do sábio do que ouvir a canção do insensato.

5   É melhor ouvir a repreensão de um sábio do que escutar elogios de um tolo.

 

6 – Pois como o crepitar dos gravetos por debaixo da caldeira é a risada do néscio. E também isto é vaidade.

6   Pois, qual o crepitar dos espinhos debaixo de uma panela, tal é a risada do insensato; também isto é vaidade.
6   A risada dos tolos é como os estalos de espinhos no fogo — não quer dizer nada.

Ressalto a ideia de colocar a Opressão e Suborno como uma divisão especial para O Bom Nome, pois creio que se completam.

A Bíblia de Jerusalém identifica o capítulo 7 como a 2ª parte do Livro de Eclesiastes e a propósito destes 7 primeiros versos presta a seguinte orientação:

– O primeiro prólogo tratava do aborrecimento; este, do riso. Entretanto, este segundo é igualmente austero.

Feito estes pequenos ajustes de caráter puramente pessoal, prometo iniciar no próximo Sermão as considerações sob cada um dos tópicos destacados.

ESPERO CONTINUAR