Setenta anos é o tempo de nossa vida,

oitenta anos se ela for vigorosa;

e a maior parte deles é fadiga e mesquinhez,

pois passam depressa, e nós voamos.

Salmo 90:10.

 

 

Alegria versus Tristeza

2 – Mais vale visitar a casa em luto que a casa em festa, porque tal é o desfecho de cada homem; quem está vivo deveria refletir sobre o fato.

2 – Melhor é à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, pois naquela se vê o fim de todos os homens; e os vivos que o tomem em consideração.

2   É melhor ir a uma casa onde há luto do que ir a uma casa onde há festa, pois onde há luto lembramos que um dia também vamos morrer. E os vivos nunca devem esquecer isso.

 

3 – Mais vale sofrer que rir, pois, enquanto o semblante se entristece, o coração se alivia.

3   Melhor é a mágoa do que o riso, porque com a tristeza do rosto se faz melhor o coração.

3   A tristeza é melhor do que o riso; pois a tristeza faz o rosto ficar abatido, mas torna o coração compreensivo.

 

4 – O coração do sábio está na casa em luto, o coração do néscio está na casa em festa.

4   O coração dos sábios está na casa do luto, mas o dos insensatos, na casa da alegria.

4   Quem só pensa em se divertir é tolo; quem é sábio pensa também na morte.

 

Versões: Bíblia de Jerusalém, Almeida revista e atualizada, Nova tradução na linguagem de hoje.

Espero que apreciem esta coletânea sob o tema em foco.

Inicialmente um pedacinho de um artigo encontrado no Site

http://pt.shvoong.com/humanities/1748956-tristeza-alegria/#ixzz1VtwHmUAB

que traz o sugestivo título:

A Tristeza nos Isola e a Alegria nos Conecta.

“… Como era possível o isolamento, a indiferença, a individualidade nascida do egoísmo, se estamos todos conectados e somos habitantes do mesmo lar? Se a vida de todos depende de nossas ações e palavras (pois sim, nossos atos e mesmo as abstenções provocam reações em cadeia que a todos afetam)?

Então compreendi que apesar de continuarmos conectados na prática, só sentimos as graças dessa união quando estamos felizes, abertos, dispostos. O mundo nos sorri e nos derrama graças e generosidade quando nos sentimos ligados a cada ser humano. Quando nos isolamos – e só nos isolamos quando somos infelizes – perdemos esta conexão. Ficamos sombrios e temos ainda mais motivos para acreditar que a conexão não vale a pena, já que nos sentimos injustiçados e abandonados.

Usando uma metáfora bem simples: estar feliz é como ter banda larga, onde tudo flui com rapidez, a quantidade de contatos é maior e as facilidades da vida prática também. Já estar triste é não possuir internet, ficando isolado do resto do mundo, tendo que fazer tudo do jeito mais trabalhoso.”

Grifei

Um ensinamento de Martha Medeiros. Gostei tanto que quase repeti o artigo inteiro – ALEGRIA NA TRISTEZA:

“O poema[i] diz que a gente pode entristecer-se por vários motivos ou por nenhum motivo aparente, a tristeza pode ser por nós mesmos ou pelas dores do mundo, pode advir de uma palavra ou de um gesto, mas que ela sempre aparece e devemos nos aprontar para recebê-la, porque existe uma alegria inesperada na tristeza, que vem do fato de ainda conseguirmos senti-la.

Pode parecer confuso mas é um alento. Olhe para o lado: estamos vivendo numa era em que pessoas matam em briga de trânsito, matam por um boné, matam para se divertir. Além disso, as pessoas estão sem dinheiro. Quem tem emprego, segura. Quem não tem, procura. Os que possuem um amor desconfiam até da própria sombra, já que há muita oferta de sexo no mercado. E a gente corre pra caramba, é escravo do relógio, não consegue mais ficar deitado numa rede, lendo um livro, ouvindo música. Há tanta coisa pra fazer que resta pouco tempo pra sentir.

Por isso, qualquer sentimento é bem-vindo, mesmo que não seja uma euforia, um gozo, um entusiasmo, mesmo que seja uma melancolia. Sentir é um verbo que se conjuga para dentro, ao contrário do fazer, que é conjugado pra fora.

Sentir alimenta, sentir ensina, sentir aquieta. Fazer é muito barulhento.

Sentir é um retiro, fazer é uma festa. O sentir não pode ser escutado, apenas auscultado. Sentir e fazer, ambos são necessários, mas só o fazer rende grana, contatos, diplomas, convites, aquisições. Até parece que sentir não serve para subir na vida.

Uma pessoa triste é evitada. Não cabe no mundo da propaganda dos cremes dentais, dos pagodes, dos carnavais. Tristeza parece praga, lepra, doença contagiosa, um estacionamento proibido. Ok, tristeza não faz realmente bem pra saúde, mas a introspecção é um recuo providencial, pois é quando silenciamos que melhor conversamos com nossos botões. E dessa conversa sai luz, lições, sinais, e a tristeza acaba saindo também, dando espaço para uma alegria nova e revitalizada. Triste é não sentir nada.”

http://www.velhosabio.com.br/momentodereflexao/402/A+alegria+da+tristeza.html

 

E se a orientação de berço que recebemos foi cristã, vamos lembrar que Cristo sempre alertou que segui-lo não seria tarefa fácil:

Mateus
5.10   — Felizes as pessoas que sofrem perseguições por fazerem a vontade de Deus, pois o Reino do Céu é delas.

5.11   — Felizes são vocês quando os insultam, perseguem e dizem todo tipo de calúnia contra vocês por serem meus seguidores.

Paulo experimentou com sucesso as adversidades:

Filipenses

4.12   Sei o que é estar necessitado e sei também o que é ter mais do que é preciso. Aprendi o segredo de me sentir contente em todo lugar e em qualquer situação, quer esteja alimentado ou com fome, quer tenha muito ou tenha pouco.

                (Contente = satisfeito, alegre)

O Salmista ensina a sermos alegres:

32.11   Todos vocês que são corretos, alegrem-se e fiquem contentes por causa daquilo que o SENHOR tem feito! Cantem de alegria, todos vocês que são obedientes a ele!

5.11   Mas os que buscam abrigo em ti ficarão contentes e sempre cantarão de alegria porque tu os defendes. Os que te amam encontram a felicidade em ti.

30.5   A sua ira dura só um momento, mas a sua bondade é para a vida toda. O choro pode durar a noite inteira, mas de manhã vem a alegria.

37.11   Mas os humildes viverão em segurança na Terra Prometida e terão alegria, prosperidade e paz.

               65.12   Os pastos estão cobertos de rebanhos, e os montes se enchem de alegria.

68.3   Mas os bons ficam contentes e felizes na sua presença e, cheios de alegria, cantam hinos.

96.12   Alegrem-se os campos e tudo o que há neles. Então as árvores dos bosques gritarão de alegria diante de Deus, o SENHOR,

126.5   Que aqueles que semeiam chorando façam a colheita com alegria!

  

Mas fala também de tristezas:

31.10   A tristeza acabou com as minhas forças; as lágrimas encurtam a minha vida. Estou fraco por causa das minhas aflições; até os meus ossos estão se gastando.

25.18   Vê as minhas tristezas e sofrimentos e perdoa todos os meus pecados.

90.15   Dá-nos agora muita felicidade assim como nos deste muita tristeza no passado, naqueles anos em que tivemos aflições.

 

Alguns ensinos da Seicho-No-Ie:

Esta vida está repleta de coisas e fatos belos, sublimes e comovedores. Se você desejar ter uma vida digna de ser vivida, comece já a “caça ao tesouro”. Basta procurar para que você encontre quantas belezas quiser – a virtude das pessoas, a bela Natureza, um sublime gesto de bondade etc. -, espalhadas como pequeninas jóias.

Do livro Por uma Vida Radiante, Seicho Taniguchi.

 

O que parece mal é apenas uma “sombra” que surge quando não é suficientemente firme a conscientização de que o ser humano é filho de Deus. Sombra é ausência de luz, não é algo que existe de verdade por si mesmo. O mal também não é existência real e desaparece quando nos conscientizamos de que somos filhos de Deus. Sou filho de Deus e vivo no mundo onde existe unicamente o bem.

 

Atentem para este ensino do Dr. Drausio Valera:

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

 

Curiosidades:

1)      Escolhi o livro de Salmos e pedi uma pesquisa com a palavra “Alegria” – quantos  versículos foram mostrados?  53. E com a expressão “Tristeza” – 9.

2)      Vejam também o que aprendi: “Alegria e a tristeza têm sua origem bioquímica no laboratório que carregamos dentro de nós”: consultem

http://kuinzytao.wordpress.com/2007/03/03/alegria-e-a-tristeza-tem-sua-origem-bioquimica-no-laboratorio-que-carregamos-dentro-de-nos/

ESPERO CONTINUAR

 


[i] poema do uruguaio Mario Benedetti. No original, chama-se “Alegría de la tristeza”