Traduzi (que petulância!) mais um artigo de Michael Laitman – de qualquer forma poderão vê-lo no original:

https://mail.google.com/mail/?tab=wm#inbox/13498e7e198ea0ca

Os grifos também são meus. TENHAM UM FELIZ 2012!!!

 

O que você quer dizer quando você está falando de harmonia?

É fácil entender o que é harmonia.

Harmonia é o resultado de duas forças que existem na natureza: a força de doação (a força positiva) e a força de receber (o negativo), que se manifestam em diferentes níveis (biológico, físico, moral, e assim por diante) como sistemas equilibrados. Se essas forças estão equilibradas no corpo humano, o corpo é absolutamente saudável. Se estão em equilíbrio na natureza, significa que estamos em um estado de repouso absoluto. A falta de equilíbrio leva a todos os tipos de movimentos.

Naturalmente, o desequilíbrio é necessário porque produz vida. É a interação constante entre estas duas forças, dentro de certos limites, a variação de sua relação uma com a outra que cria a vida. Por exemplo, a expansão e contração do tórax, do coração e de outros órgãos são movimentos produzidos pelas forças opostas que se dão suporte e se complementam uma a outra. Vida é o que ocorre entre estas forças, devido à sua interação adequada e harmoniosa.

No nosso desenvolvimento, vamos chegar a um ponto em que toda a comunidade humana atingirá precisamente este modo de operação através do qual todas as suas partes irão oscilar mutuamente. Mas essas oscilações, como a respiração, serão interdependentes umas com as outras, quando a força de doação é igual à força de recepção. Elas irão alternadamente interagirem uma com a outra: Quanto mais doamos à natureza, mais iremos receber; quanto mais recebermos, mais teremos que doar.

Então, vamos viver em harmonia, homeóstase[i], o que significa um estado de apoio mútuo. A natureza que nos leva a um estado de equilíbrio entre suas duas principais forças, a força de dar e a de receber, pretende que cheguemos a esta harmonia. É  a tendência geral da natureza.

Não podemos fazer nada com esta lei geral, universal. Só podemos compreender para onde vamos e como nos encaixar voluntariamente, conscientemente, nos seus movimentos – movimentos externos a nós e absolutamente obrigatórios. Assim, nos sentiremos confortáveis, não só no estado final no qual chegaremos, mas em cada uma de suas fases de desenvolvimento.


[i] Aurélio: homeóstase [De homeo- + -stase.] – Substantivo feminino.
1.Fisiol. Med. Tendência à estabilidade do meio interno do organismo.
2.Cibern. Propriedade autorreguladora de um sistema ou organismo que permite manter o estado de equilíbrio de suas variáveis essenciais ou de seu meio ambiente.