Me esforcei para traduzir um artigo do Rabino Michael Laitman, hoje recebido. Este texto me encantou e, por isto, acredito que vocês também gostarão dele. Os que são versados na língua inglesa poderão apreciá-lo no original, e se tiverem sugestões para melhorar a tradução, por favor as envie.

http://mlist.kbb1.com/files/blog_mihaelya_laitmana_eng_wb.html

 Deixo-lhes com uma indagação: Rav. M. Laitman está sendo um visionário ou um profeta?

Nosso entendimento em relação a natureza, indicando uma lei que obriga a nos conectar uns com os outros como um todo, manifesta-se dentro do ambiente. É por isso que a nossa atitude para com o ambiente, construindo com base nesta lei, é mais importante do que a atitude para a própria Natureza. A coisa principal é construir um meio ambiente.

Não é à toa que milhares e milhões de pessoas são forçadas a deixar seus empregos, tornando-se desempregados; precisamos abrir cursos para professores, educadores e facilitadores. De fato, neste trabalho, cada um de nós é um professor, um educador e um assistente em relação aos outros. Portanto, todos terão que passar por este processo de aprendizagem e adquirir uma nova “profissão”, que significa tornar-se um “Ser Humano” em uma nova sociedade. Cada um de nós deve subir para um nível em que  seremos capazes de entender o que acontece na Natureza, e que está acontecendo dentro de nós, quais as formas de relações que podemos construir com o outro.

Segundo a pesquisa, se uma pessoa se encontra em um ambiente onde há influência mútua, ele não pode escapar. Esta influência mútua o obriga, o envolve, e querendo ou não, ele muda. Vemos como o meio ambiente molda os nossos filhos apenas por exemplos. O ambiente nos educa e  adquirimos , em na nossa vida,novas formas de comportamento, relacionamentos, e uma nova escala de valores.

É por isso que nem sequer se contam os nossos desejos, sejam eles por comida, sexo, família, dinheiro, conhecimento, poder, ou centenas de outras coisas. Não devemos nos preocupar com a forma de usarmos esses desejos, mas com a sua direção (e isto é o mais importante!). Em outras palavras, a coisa mais importante é apenas a minha intenção no uso do meu “eu” com relação a todos os meus desejos. Devo transformar o uso de todas as minhas habilidades para o benefício da sociedade, e então o meu “eu” vai se transformar em “nós”. E, a partir desta noção de “nós”, que é como que uma reunião de indivíduos, chegaremos ao conceito de “UM“. E este “UM” já está em equilíbrio, em unidade com a única lei que nos governa.

Então, a pessoa se torna um Ser Humano, e começa a entender sua natureza e suas características gerais. Nesse caminho, estuda uma série de leis internas, as leis da psicologia e do universo, e absorve tudo o que existe na natureza, atingindo seu mais alto grau, o grau desta força única que nos afeta, e na forma que hoje a percebemos como “crise“ ela nos convida a abordá-la. Este caminho é projetado para ensinar uma pessoa a se tornar um ser humano, como alcançar o melhor, mais seguro e mais confortável estado, o estado de integridade. Portanto, devemos ser gratos a esta situação que nos leva a uma nova era, para o mundo cheio de bondade.

No entanto, hoje ainda não começamos este processo e ainda não estamos conscientes disto; nossas vidas parecem sem sentido; estamos com medo do que espera os nossos filhos e netos. Então, as pessoas não querem ter filhos e nem sequer compreender o seu lugar neste mundo. Mas tudo é exatamente o oposto! No sentido real da palavra, “crise” significa um novo nascimento, o limiar de uma nova humanidade. A realização das nossas maiores esperanças está à frente de nós. 

Temos que começar a perceber essa lei única, e em um tempo muito curto, dentro de algumas semanas, vamos sentir o quanto ela funciona, como o “hábito torna-se uma segunda natureza”, o quanto não podemos viver sem mostrar uma boa atitude para com o outro. E se por acaso nos esquecemos disto, temos de lembrar um ao outro, enquanto estamos juntos, unidos, quando todos nos sentimos uns aos outros, o que é um aconchegante e desejado estado, tanto assim que iremos querer voltar para lá novamente.

Vamos esperar que, graças ao nosso apoio mútuo, possamos chegar a este estado, aonde um esquema, um hábito, vai nos ajudar a alcançar a boa natureza do amor.