Setenta anos é o tempo de nossa vida,

oitenta anos se ela for vigorosa;

e a maior parte deles é fadiga e mesquinhez,

pois passam depressa, e nós voamos.

Salmo 90:10.

A SORTE

Bíblia de Jerusalém

Eclesiastes

1 – A tudo isto apliquei meu coração e experimentei tudo isto: os justos, os sábios e suas obras estão nas mãos de Deus[i]. Amor e ódio estão diante do homem, e o homem não sabe escolher[ii].

2 – Tudo é vaidade! Uma mesma sorte toca a todos: ao justo e ao ímpio, ao bom e ao malvado[iii], ao puro e ao impuro, ao que oferece sacrifícios e ao que não os oferece, ao íntegro e ao pecador, ao que faz um juramento e ao que evita fazê-lo.

3 – Eis o mal de tudo o que acontece debaixo do sol: uma mesma sorte toca a todos. O coração dos homens está cheio de maldade: enquanto vivem, pensam loucuras e, depois disso, vão para a companhia dos mortos[iv].

4 – Para quem estiver ligado aos vivos, ainda há esperança[v], pois mais vale um cachorro vivo que um leão morto.

5 – Os vivos ao menos sabem que vão morrer, enquanto os mortos não sabem nada, nem recebem salário, pois sua lembrança cai no esquecimento.

6 – Acabaram-se seus amores, ódios e paixões, e jamais tomarão parte no que se faz debaixo do sol[vi].

7 – Vai, come teu pão com alegria e bebe contente teu vinho, porque, desde há muito tempo, Deus aprecia tuas obras.

8 – Em todo o tempo sejam brancas as tuas vestes, e não falte perfume em tua cabeça.

9 – Desfruta a vida com a mulher que amas, todos os dias que dure tua vida fugaz que ele te concedeu debaixo do sol, os anos todos da sua vida efêmera; pois essa é a tua porção na vida e no trabalho com que te afadigas debaixo do sol.

10 – Tudo o que está ao teu alcance faze-o com esmero, pois não se trabalha nem se planeja, não há conhecer nem saber no Xeol para onde vais.

11 – Outra coisa observei debaixo do sol: a corrida não depende dos ágeis, nem a batalha dos valentes, nem o ganha pão dos sábios, nem a riqueza dos entendidos, nem a estima dos que sabem, mas o tempo e o acaso ocorrem a todos eles.

12 – O homem não advinha seu tempo: como peixes colhidos numa rede funesta, como pássaros presos na armadilha, assim os homens são presos, quando o tempo nefasto lhes cai em cima de repente.

Inicialmente vamos ver outros versículos bíblicos relacionados com os do Coélet.

Ecl 9:1

Provérbios
16.1   O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR.

Sabedoria

7.16 nas tuas mãos estamos nós, nossas palavras, toda a inteligência e perícia do agir.

Ecl 9:2 (Veja também Ecl 7:15 e 8:14)


21.7   Como é, pois, que vivem os perversos, envelhecem e ainda se tornam mais poderosos?

Ecl 9:7

Eclesiastes
2.24   Nada há melhor para o homem do que comer, beber e fazer que a sua alma goze o bem do seu trabalho. No entanto, vi também que isto vem da mão de Deus,

Ecl 9:12

Lucas
12.20   Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?

Vou abusar de vocês e reproduzir os comentários de Matthew Henry’s Concise Comentary, obtidos da Bíblia “On Line” da Sociedade Bíblica do Brasil. A tradução foi feita por mim, de sorte que podem reclamar ‘alto e bom som’ se não gostarem dela.

 Os homens bons e ruins saem-se da mesma forma neste mundo.

Eclesiastes1-3: Nós não estamos pensando que a nossa busca pela palavra ou pelas obras de Deus são inúteis, em razão de não podermos explicar todas as dificuldades.  Podemos aprender muitas coisas boas para nós mesmos e úteis para os outros. Mas o homem não pode sempre decidir quem será objeto do amor especial de Deus, ou que estará sob a sua ira, e Deus, no outro mundo, certamente vai notar a diferença entre o que é precioso e o que é vil. A diferença de como se apresenta a felicidade, surge a partir dos suportes interiores e consolações que o justo aprecia, e os benefícios derivam dos variados estudos e atos de misericórdia. Quanto aos filhos dos homens são deixados a si mesmos, seus corações estão cheios de maldade e prosperam no pecado, fazendo com que eles, até mesmo para falar de Deus, o fazem com atitude de desafio e ousada maldade. Ainda que, neste lado da morte, o justo e o ímpio muitas vezes parecem saírem-se de igual maneira, do outro lado haverá uma grande diferença entre eles.

Creio que a Cabala diria que todos os atos praticados pelos homens aqui na Terra estão contaminados pelo egoísmo e, por esta razão, não trazem significado para as questões espirituais. Mas o comentarista segue uma linha cristã mais tradicional e aceita a distinção entre justos e impiedosos, acrescentando que a paga de cada um se dará em um estágio posterior. Entendo que os nossos atos tidos como ‘bons’ ou ‘misericordiosos’, independente da paga que receberão agora ou no além, irão beneficiar muitas pessoas aqui e, certamente, aos que o praticaram, visto que vivemos em um mundo interligado e “o bater de asas de uma borboleta em nosso jardim terá repercussão do outro lado do Planeta”.

Apreciei a expressão “o homem não pode sempre decidir quem será objeto do amor especial de Deus, ou que estará sob a sua ira, e Deus”, o que nos leva e reavaliarmos a nossa “humildade” – será que realmente as coisas que faço são melhores, mais agradáveis ao Criador, do que a de meu amigo (ou inimigo)?

Mas que mania terrível nós temos de julgar os outros e nos preocuparmos (deveria dizer nos deliciarmos) com os castigos que receberão. Já temos a nossa vida, vamos ser gratos por ela e colaborar, tanto quanto possível, com o bem estar e a felicidade do outro.

Todos os homens devem morrer, é a sua parte nesta vida.

Eclesiastes 4-10: A mais desprezível condição humana de vida é preferível ao viver do homem mais nobre que venha a morrer na impiedade.

Salomão exorta o sábio e piedoso a terem uma alegre confiança em Deus, quaisquer que sejam suas condições na vida. O mais insignificante bocado, vindo de amor de seu pai, em resposta à oração, terá um gosto peculiar. Não que possamos configurar nossos corações com base nas delícias dos sentidos, mas o que Deus nos deu, podemos usar com sabedoria. O gozo aqui descrito, é a alegria do coração que brota de um sentimento do favor Divino; Este é o mundo de serviço,para que venha o mundo da recompensa. Todos em seus postos, podem encontrar algum trabalho a fazer. E acima de tudo, os pecadores têm de correr atrás da salvação de suas almas, os crentes têm de provar sua fé, adornar o evangelho, glorificar a Deus e servir a sua geração.

No início destes SERMÕES… foi esclarecido que o Coélet era uma pessoa designada para dar instrução aos jovens. Eu ficaria feliz em saber que meus filhos e netos estariam absorvendo os ensinos contidos especialmente nos versos 7 a 10 deste capítulo:

9.7   Vai, pois, come com alegria o teu pão e bebe gostosamente o teu vinho, pois Deus já de antemão se agrada das tuas obras.

9.8   Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e jamais falte o óleo sobre a tua cabeça.

9.9   Goza a vida com a mulher que amas, todos os dias de tua vida fugaz, os quais Deus te deu debaixo do sol; porque esta é a tua porção nesta vida pelo trabalho com que te afadigaste debaixo do sol.

9.10   Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projetos, nem conhecimento, nem sabedoria alguma.

Fomos colocados neste mundo por alguma razão. Este mundo foi feito com sabedoria e, pois, nos oferece muitas coisas boas. Gozemos delas também com sabedoria, embora a nossa seja limitada e de forma alguma se compara com a do Criador. Apenas faço restrição à última parte do verso 10, pois a entendo como especulação desnecessária.

Decepções comuns.

 Eclesiastes 11,12: O sucesso dos homens dificilmente coincide com a suas expectativas. Devemos nos utilizar dos meios dos quais dispomos, mas não convém confiar neles: se conseguirmos, vamos dar glória a Deus, se falharmos, devemos nos submeter a vontade Divina. Aqueles que rejeitam as grandes preocupações que se relacionam com suas almas, serão apanhados na rede de Satanás, que usa objetos materiais como iscas, para que desprezem ou negligenciem o evangelho, e continuem no pecado, até que, de repente, caiam em destruição.

Vamos viver cada dia com agradecimento e alegria no coração, sem nos preocuparmos com o reconhecimento, a recompensa. Já estamos vivendo – quem bom! Será este o último dia de minha estada na Terra? Talvez sim, mais um motivo para aproveitá-lo com humildade e sabedoria, pois corremos o risco de sermos ‘eternos’.

Esta porção do livro do Pregador está encimada, na Bíblia de Jerusalém, com o título SORTE. Talvez uma referência à expressão “uma mesma sorte toca a todos” contida no verso 3 e que, de certa forma, dá um resumo do texto. Na primeira acepção do Aurélio, SORTE é “Força que determina ou regula tudo quanto ocorre, e cuja causa se atribui ao acaso das circunstâncias ou a uma suposta predestinação”. Confesso que não sou fã desta expressão, pois, no meu entender, retira do homem qualquer liberdade de ação, isentando-o de responsabilidades pelo que pensa e pelo que faz. Não sei se erro ao afirmar que esta posição pode ser válida para a Cabala, pois entende que as ações humanas são, via de regra, isentas de livre arbítrio e, mais, como já foi dito acima, consideram sem qualquer validade para a espiritualidade quase tudo o que praticamos na materialidade. Não é assim para o cristianismo, uma vez que a criatura deve voltar-se ao Criador e andar nos seus caminhos por livre e espontânea vontade. O espiritismo e o budismo também advogam esta posição, daí as sucessivas reencarnações para o aprimoramento da alma.

Mas, sem dúvida, o texto apresenta alguns eventos a que todos os humanos, indistintamente, estão sujeitos. As religiões procuram, cada uma a seu modo, entender o porquê destes acontecimentos. Se vivermos amando o próximo como a nós mesmos teremos, talvez, oportunidade de entender, no momento oportuno, as razões de tudo o que nos sucedeu.

ESPERO CONTINUAR


[i] Rodapé da Bíblia de Jerusalém (BJ): “apliquei todo o meu coração”, conj. (cf. 1, 13. 17); “coloquei no coração”, hebr.; talvez seja preciso suprimir o primeiro “tudo isso” e ler: “Apliquei todo o meu coração a experimentar tudo isto”. – “suas obras” : ‘abadêhem, corresponde a uma palavra aramaica; o termo geralmente usado é ma’aseh, “obra, ação”. É preciso talvez corrigir para ‘ahabêhem’ , “seus amores”.

[ii] Rodapé da BJ: Esses sentimentos da experiência humana constituem um mistério para o homem. O amor é cego e fatal como a morte e o destino.

[iii] Rodapé BJ: “vaidade”, versões; “ao malvado”, omitido pelo hebr., mas deve ser inserido aqui de acordo com as versões e o contexto.

[iv] Rodapé BJ: “depois disso”: ‘aharayw, hebr.; “ao fim deles”: ‘aharítam, Simaco e a Peshita; “vão para a companhia dos mortos”; em hebr., apenas “para os mortos”.

[v] Rodapé BJ: “estiver ligado”, qerê, versões; “ser escolhido”, hebr. Ketib.

[vi] Rodapé BJ: A certeza da morte torna mais discreto o convite à alegria (VV. 7.8, cf. 2.24), o qual termina com o conselho de fidelidade ao amor de toda uma vida, até a separação definitiva, a respeito da qual não se entrevê nenhuma consolação.