FOI ASSIM QUE TERMINEI O SERMÃO…LIV, HOJE POSTADO:

Algumas afirmações:

As pessoas que falam muito mentem sempre, porque acabam esgotando seu estoque de verdades.

Millôr Fernandes

http://pensador.uol.com.br/tag/falar-demais/

 

Os mais arrojados em falar são ordinariamente os menos profundos em saber. 

Marquês de Maricá

O sábio, para falar, antes medita o que dizer, ou a quem dizer, em que lugar e tempo.

Santo Ambrósio

http://www.webfrases.com/mostrar_frases.php?id_frases=121

 

E apresso em me corrigir. Os pensamentos acima são de pessoas importantes, reconhecidas, mas as duas primeiras citações são totalmente fora de propósito. Estou certo de que nem Santo Agostinho, nem o Apóstolo Tiago concordariam com eles.

O Apóstolo faz lúcidas recomendações, mas de forma alguma identifica nossos irmãos faladores como únicos cometedores de eventuais faltas. Quem fala pouco também comete incríveis falhas com a língua. Santo Ambrósio é comedido, fala pouco, e recomenda que assim sejamos – pelo menos é o dá a entender a sua frase; ou seja, fala de si mesmo. Será que o Sr. Millôr e o Marquês não estão fazendo a mesma coisa, isto é, falando de si mesmos? PRONTO: e aí já vem uma maldade minha – mas foram eles que provocaram, ou não? (E aí estou eu saindo da reta novamente – a culpa é deles!)

Falar pouco ou falar muito deve ser daquelas coisas que dependem de um sem número de influências: DNA, criação, ambiente… Falar muito pode ser um pensar com o auxílio da boca. Porque os nossos pensamentos, como é sabido, não cessam um instante sequer. E há os que preferem expressá-los no momento, ao vivo; outros são “munhecas” e preferem guardá-los para si – ou são inseguros e temerosos com o julgamento dos outros. Não estou no primeiro grupo, mas no segundo. Mas a cuca é faladora, tão verborrágica que não me deixou dormir direito à noite e, por esta razão (cá estou a me justificar!) ‘bloguei[i]’ o Sermão com afirmações provocativas, sem considerar o mal estar que poderiam causar. Aliás, o incessante baratinar impediu também o cochilo “after lunch” – se bem que, à noite, insistia em montar uma planilha; agora a pouco em redigir este complemento.

Logo, feito este, passo agora a fazer aquele, para dormir melhor esta noite, pois amanhã tenho importante exame médico.


[i] Ainda não está no Aurélio.