Coloco para vocês mais um artigo do Sr. Michael Laitman, que traz uma visão mais abrangente do termo “globalização”. É óbvio que isto significa mais responsabilidade para nós e enfatiza a necessidade de, mais do que urgente, trabalharmos para a mudança de nosso verdadeiro SER. O texto foi obtido no Site

http://laitman.com.br/2012/06/globalidade-o-que-e-isso/

Pergunta: O que você quer dizer quando usa a palavra “global”?

Resposta: Globalidade, no meu entendimento (não de acordo com a Wikipédia), começou quando nossas influências sobre a natureza deixaram de ser locais e tornaram-se globais, o que significa que, essencialmente, o que eu faço, eu afeto a natureza e todo o planeta – a globalidade do lugar.

Além disso, eu afeto todo o planeta, não só agora, no momento atual, significando que a minha influência não continuará enquanto dura, mas sim, por influenciar a natureza, eu afeto diretamente todas as gerações subsequentes, para a eternidade – a globalidade do tempo.

Nossas influências negativas sobre toda a natureza e para a eternidade dá lugar à consequências negativas secundárias, terciárias, etc. Nós nem sequer estamos conscientes da maioria delas por não terem manifestado na natureza ainda – a globalidade do movimento.

Nossas influências negativas sobre a natureza inanimada, vegetativa e animada voltam, em sua influência negativa, para nós, para a natureza humana, além disso, acontece não só sob a forma de nossas transformações fisiológicas e psicológicas. Nosso egoísmo individual de cada um acaba por ser global, e não é por nossa escolha. No entanto, os nossos egoísmos acumulam juntos em um egoísmo global, agravado por meios de comunicação, e um egoísmo mundial retorna para nós na sua influência global sobre nós, nos tornando egoístas mutantes – a globalidade egoísta.

Esta globalidade egoísta em particular, deve ser corrigida para globalidade altruísta, este é o nosso chamado e salvação do sofrimento, pelo qual a natureza, no entanto, vai obrigar-nos a alcançar a globalidade positiva em todas as formas de civilização humana: política (um governo unido por uma humanidade unida “A Geração Futura”), moral (todos são iguais, como em uma família), social (uma educação global única determina a mesma abordagem para cultura, ciência, religião) e espiritual (em uma unificação global, a revelação de uma Força Superior Singular da Natureza) – a globalidade altruísta.

Hoje, a correção da nossa atitude para com o mundo ainda é uma utopia, que em grego significa uma [ausência de lugar]. Mas os fenômenos globais negativos acumulados criam consequências em um lugar, uma soma de fenômenos negativos, que nos forçará aceitar a correção de uma utopia que se tornará realidade.