Setenta anos é o tempo de nossa vida,

oitenta anos se ela for vigorosa;

e a maior parte deles é fadiga e mesquinhez,

pois passam depressa, e nós voamos.

Salmo 90:10.

Eclesiastes 11:

Bíblia de Jerusalém

A IDADE

11.7 Doce é a luz, e agradável aos olhos ver o sol.

11.8 Por mais anos que o homem viva, e por mais que os desfrute todos, deve lembrar-se de que os anos sombrios serão muitos e tudo o que vem é vaidade.

11.9 Jovem regozija-te na tua mocidade e alegra-te na flor da idade, vai aonde o coração te leva e os olhos te atraem[i], mas saibas que sobre tudo isso Deus te fará entrar em julgamento.

11.10 Rechaça as penas do coração e afugenta as dores do corpo: juventude e flor da idade são efêmeras.

 

Nova Tradução na Linguagem de Hoje 

11.7   Como é agradável a luz do dia, e como é bom ver o sol!

11.8   Viva alegre durante todos os anos da sua vida. Mas, mesmo que você viva muitos anos, lembre que ficará morto durante muito mais tempo. Tudo o que acontece é ilusão.

11.9   Jovem, aproveite a sua mocidade e seja feliz enquanto é moço. Faça tudo o que quiser e siga os desejos do seu coração. Mas lembre de uma coisa: Deus o julgará por tudo o que você fizer.

11.10   Não deixe que nada o preocupe ou faça sofrer, pois a mocidade dura pouco.

A Bíblia de Jerusalém cria um subtítulo logo após o verso sexto de Eclesiastes 11 – A IDADE – e coloca a seguinte Nota de rodapé:

A longevidade era tida como a recompensa prometida aos israelitas nos discursos do Deuteronômio (Dt. 5:16-33; 11:9-21; 22:7 etc.), a suprema bem aventurança garantida aos justos pelos sábios. Para Coélet, a velhice não constitui felicidade alguma, devido a uma série de fatos: pavor da morte (11:7), saudade da juventude (11:8, 12:2), diminuição das atividades (12:3-5) e expectativa do inevitável (12:5-7).

Na realidade, o subtítulo engloba o capítulo 12, que realmente fala da “melhor” idade. Estão, estes versos, amarrados ao primeiro do capítulo 12, servindo de exórdio, preâmbulo, ao magnífico texto que aborda o tempo em que “escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva”. Mas vamos aqui dedicar um minutinho à juventude.

Quando se fala em juventude já me vem à mente coisas alegres. E o Coélet ainda recomenda que as nossas “crianças” sejam alegres. E isto é muito bom: no SERMÃO XXXIX, postado em 21/agosto/2011,transcrevi o seguinte ensino do Dr. Drausio Valera:

O bom humor, a risada, o lazer, a alegria, recuperam a saúde e trazem vida longa. A pessoa alegre tem o dom de alegrar o ambiente em que vive. “O bom humor nos salva das mãos do doutor”. Alegria é saúde e terapia.

Sem dúvida a Seicho-No-Ie apoia a tese:

Se você mantiver sua mente alegre e viver com o coração repleto de gratidão, terá muita saúde e tudo ao seu redor melhorará: seu lar se tornará alegre, e sua cidade será um lugar maravilhoso, um Paraíso na Terra. Dominando a mente, é possível criar qualquer coisa. Você deve conscientizar que todo ser humano é um maravilhoso filho de Deus.

Seicho-no-Ie, Seicho Taniguchi

Onde há alegria, vem mais alegria. Alegremo-nos pelo dia de ontem, pelo dia de hoje e pelo dia de amanhã. Olhando o mundo com a mente alegre, percebemos que tudo se rejubila: o céu, o ar, os raios solares, o verde das árvores, os pássaros, as pessoas – tudo e todos vibram de alegria. Eu também devo viver sempre alegre.

Seicho-no-Ie. A verdade da Vida, Masaharu Taniguchi

Naquele Sermão, como em seu complemento (XXXIXa de 04/setembro/2011) abordei o tema da Alegria, e, como não poderia deixar de ser, da Tristezapois aquela não seria notada se esta não existisse. Também o SERMÃO…L trata do assunto. A mensagem AMAR A VIDA E SER FELIZ, de 11/julho/2012, foi colocada, inclusive,  como um preparativo para as considerações sobre os versos 7 a 10 do capítulo 11 de Eclesiastes.

O “viver alegremente” é tema recorrente para o Pregador, embora pese sobre ele a pecha de pessimista – consultem estas indicações: Eclesiastes 3:12-13; 5:18-20; 8:15; 7:14; 12:15.

Mas não é só viver “na alegria”. Coélet lembra: “lembre-se de que ficará morto durante muito mais tempo. Tudo o que acontece é ilusão”; e “Deus o julgará por tudo o que você fizer”; finalmente: “a mocidade dura pouco”. A pregação de Eclesiastes é de uma alegria com responsabilidade, reconhecendo sua condição humana e os propósitos superiores da vida. Aprecie também como o Jardineiro do Amor expõe isto:

Ninguém é eterno, irmão, e nada dura muito tempo.

Guarda isto no teu espírito e regozija-te.

O JARDINEIRO DO AMOR – TAGORE, Rabindranath, pg 49.

 

É o ensino do Cristo:

João
12.35   Jesus respondeu: — A luz estará com vocês ainda um pouco mais. Vivam a sua vida enquanto vocês têm esta luz, para que a escuridão não caia de repente sobre vocês. Quem anda na escuridão não sabe para onde vai.

Que o apóstolo Paulo acompanha:

2 Timóteo
2.22   E você, Timóteo, fuja das paixões da mocidade e procure viver uma vida correta, com fé, amor e paz, junto com os que com um coração puro pedem a ajuda do Senhor.

Este pensamento recebido de um amigo é conciso, objetivo – dá o caminho das pedras:

Queres viver alegremente? Caminha com dois sacos, um para dares, outro para receberes.

Johann Goethe

http://pensador.uol.com.br/frase/MjgyMQ/

E tem o amparo da Cabala:

A maioria dos relacionamentos se baseia em desejo egoísta, onde o parceiro, irmão ou amigo só se preocupa com sua própria felicidade. Não há nada errado em querer ser feliz. O problema é que a vida é baseada em paradoxos.

Se buscarmos felicidade para nós mesmos, receberemos caos. Entretanto, se nos esforçarmos para fazer os outros felizes, seremos nós que receberemos felicidade. Quanto mais compartilhamos com os outros, mais é compartilhado conosco.

Esse é o segredo da felicidade. Agora você o conhece. Hoje, coloque seu conhecimento em ação.

The Kabbalah Center, Daily Tune-up by Yehuda Berg, August 9th, 2010

Coélet advoga a tese que perpassa toda a Escritura e que foi tão bem resumida pelo apóstolo Paulo:

Romanos
2.6   pois ele recompensará cada um de acordo com o que fez.

2.7   Deus dará a vida eterna às pessoas que perseveram em fazer o bem e buscam a glória, a honra e a vida imortal.

2.8   Mas fará cair a sua ira e o seu castigo sobre os egoístas e sobre os que rejeitam o que é justo a fim de seguir o que é mau.

2.9   Haverá sofrimentos e aflições para todos os que fazem o mal, primeiro para os judeus e também para os não-judeus.

2.10   Mas Deus dará glória, honra e paz a todos os que fazem o bem, primeiro aos judeus e também aos não-judeus.

2.11   Pois ele trata a todos com igualdade.

E nada melhor para encerrar estas breves considerações do que uma obra de arte do amigo Glenn Stuart:

A vida é dura…

A vida é dura…
Muito dura…
Ninguém vem a este mundo a passeio; nós viemos a trabalho.
E trabalhar significa mudar…
Mudar as coisas…para melhor…

A vida materializa pensamentos…
Cultivando medo…semearemos o medo
Cultivando a falta de amor colheremos o egoísmo e a descrença…
É preciso ver além dos cinco sentidos.
É preciso enxergar com os olhos da alma.
Para receber é preciso dar…
Para atrair é preciso irradiar essa é a força da vida.

Sem a tristeza, a alegria não seria apreciada;
Sem a carência a abundância não teria significado.
A natureza nos ensina isso. Basta olhar.
Temos que alimentar nossos sonhos…
Sonhar e agir.
Sem ação os sonhos morrem, evanescem…

Dentro de nós há toda a força que precisamos.
Essa força pode estar escondida, mas ela está dentro de nós, esperando que a descubramos.
Que tal dar uma virada?
Começando por limpar da mente dos maus pensamentos…
Apague tudo que não presta dentro de você.

Felicidade é amar a vida, amar a si próprio, amar e respeitar as pessoas como à você mesmo;
É olhar o azul do céu, escutar o canto dos pássaros, enxergar o brilho do sol, sentir o cheiro das flores, o vento tocar o rosto, o riso de uma criança…

Ame-se!

ESPERO CONTINUAR


[i] BJ: Lit.: “a visão dos teus olhos”. Talvez seja parte de um provérbio sobre a juventude que Coélet aqui cita, acrescentando uma advertência sobre a brevidade da juventude.