MAS UM TRECHO DO CAPÍTULO “A CORREÇÃO, A ESCRAVIDÃO E O MILAGROSO PODER DA CERTEZA”, DO LIVRO O PODER DA KABBALAH, DE YEHUDA BERG.

 

                Graças ao produtor de cinema de Hollyood, Cecil B, DeMille, muita gente conhece a história bíblica do Êxodo, também conhecida como a história dos Dez Mandamentos. Mas a maioria de nós não está familiarizada com o significado dessa história e com sua relevância em nossas vidas.

A narrativa do Êxodo nos conta que os israelitas foram mantidos em escravidão no Egito por 400 anos. Eram escravos e filhos de escravos, mantidos em cativeiro por uma série de cruéis faraós, governantes do Egito. E então surgiu um grande líder chamado Moisés, que, em uma missão divina, conseguiu libertar seu povo. Moisés conduziu os antigos escravos em uma longa e árdua jornada, que incluiu o famoso desvio através do Mar Vermelho, levando-os ao Monte Sinai para um encontro com o destino.

Mas aqui está a parte interessante. Os israelitas, depois de terem sido salvos do Egito, sentiram o gosto da liberdade pela primeira vez em séculos. Mesmo assim, eles passaram a reclamar, a se queixar e a resmungar assim que as coisas começaram a ficar um pouco difíceis no deserto. Na verdade, eles até imploraram a Moisés que os levasse de volta à escravidão.

O Zohar explica que toda essa história foi escrita em código. “Egito” é uma palavra código para nossa existência neste mundo físico. “Faraó” é uma palavra código para o ego humano e a natureza intolerante, voltada para si mesma, e incessantemente reativa da humanidade. Assim, qualquer aspecto de nossa natureza que nos controla é denominado “Faraó”, incluindo:

.Medo                                 .Egoísmo

.Raiva                                   .Inveja

.Competitividade            . Ansiedade

.Insegurança                     . Impaciência

.Baixa autoestima           . Intolerância

Todas essas emoções nascem do ego, e nos controlam e aprisionam. São a corrente e a pesada bola que nos impedem de seguir em frente. São as algemas que nos limitam, as barras de ferro que nos prendem numa armadilha, e os chicotes que nos atormentam. Essa é a mais antiga relação mestre-escravo da Criação, e assume várias formas.

. Somos aprisionados pelos aspectos de nossa existência material baseados no ego: carros, roupas, mansões de luxo, prestígio, poder e posição.

. Nossos caprichos e desejos egoístas reativos nos mantêm em escravidão.

. Estamos em cativeiro de nossos medos e dúvidas.

. Somos prisioneiros das percepções que os outros têm de nós.

. Estamos encarcerados por nossa desesperada necessidade de aceitação pelos outros.

. Somos reféns de uma necessidade constante de superarmos nossos amigos e colegas.

. Alguns estão presos ao trabalho ou à carreira                .

. Outros estão amordaçados e amarrados em casamentos ou relacionamentos.

. Todos nós nos encontramos escravizados pelo mundo físico a nosso redor.

Mas, ao nos conscientizarmos de que ainda estamos presos no Egito – ainda escravos de nosso ego – podemos agarrar a chave que destranca as correntes e nos concede a maior liberdade que um ser humano pode conhecer:

O PODER DA CERTEZA.

O PODER DA KABBALAH – BERG, Yehuda – Kabbalah Center do Brasil, Kabbalah Publishing, Parte seis – A CORREÇÃO, A ESCRAVIDÃO E O MILAGROSO PODER DA CERTEZA, pg.s 175 – 177.